Notícias

Governo determina reforma emergencial no Hospital Presidente Vargas, referência no tratamento do HIV - 10/05/2011

O secretário de Estado da Saúde do Maranhão (SES), Ricardo Murad, determinou na última sexta-feira a execução de obras de reforma e ampliação do Hospital Presidente Vargas (Jordoa), em caráter emergencial. O objetivo é que o hospital ofereça condições físicas adequadas ao funcionamento de uma unidade de referência para doenças infecto-contagiosas (DIP). Detalhes do projeto foram discutidos pelo gestor com técnicos da Secretaria Adjunta de Obras, Saneamento e Engenharia Clínica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), na sede do órgão.
O Hospital Presidente Vargas é atualmente referência para os pacientes portadores de TUBERCULOSE e HIV/AIDS no estado. Além do serviço ambulatorial, a unidade oferece internação e exames laboratoriais, raio-X e ultrassonografia.
A obra, que terá início nesta segunda-feira (9), será dividida em duas etapas. Na primeira, os operários se concentrarão nos serviços de substituição da cobertura e do piso do hospital, bem como na mudança de toda a instalação hidráulica e elétrica do prédio, conforme padrão exigido pela Vigilância Sanitária.
O secretário Ricardo Murad garantiu que, mesmo com a obra, o hospital continuará funcionando.
Ele explicou que será feito o remanejamento de setores para evitar que os pacientes do Presidente Dutra sejam removidos para outras unidades de saúde.
Na segunda fase do projeto, o prédio, que tem 5.200 metros quadrados, será ampliado e deverá ganhar pelo menos mais 34 leitos, subindo dos atuais 66 para 100 leitos. O secretário Ricardo Murad afirmou que os serviços de reforma geral e ampliação se fazem necessários pelo elevado grau de desgaste e deteriorização do prédio.
A unidade, segundo informou o subsecretário de Saúde, José Márcio Leite, foi construída na década de 1940. A última reforma foi realizada no segundo mandato da governadora Roseana Sarney. "Vamos ter o primeiro hospital do estado com todo suporte para atender os pacientes de doenças infecto-contagiosas", afirmou ele.
Fonte: O Repórter


Fonte: Agência de Notícias da Aids: