Notícias

Estragos na frente contra a Aids - Pedro Chequer - 12/03/2014

Tem prejudicado e muito. O país poderá sofrer as consequências a médio e a longo prazo. O Brasil continua avançando na área de tratamento, apesar dos problemas que o SUS vem enfrentando, mas houve um retrocesso imenso na área de prevenção. Nós tivemos campanhas sendo vetadas. Inclusive, participei do lançamento de uma campanha de televisão no Rio de Janeiro durante o carnaval, cerca de dois anos atrás, e uma semana depois ela estava suspensa por ordem do Palácio do Planalto, porque houve pressão da bancada conservadora, principalmente evangélica. Há também grupos católicos conservadores pressionando, mas a força política maior, com certeza, está com os evangélicos neopetencostais, porque os evangélicos metodistas, luteranos, presbiterianos, episcopais são aliados. Eles fazem parte inclusive da Comissão Nacional de Aids, com posições muito claras com relação a preservativos, sem qualquer preconceito. Infelizmente, para surpresa de todos, o Brasil que era vanguarda na área de campanhas de prevenção, está cada vez mais retrocedendo. Duvido que mude em 2014 porque é ano de eleição e aí a negociação eleitoral supera qualquer princípio do interesse coletivo. Infelizmente, é a realidade.

http://www.sescsp.org.br/online/artigo/7386_ESTRAGOS%20NA%20FRENTE%20CONTRA%20A%20AIDS#/tagcloud=lista

 


Galeria

  • PEDRO CHEQUER