Notícias

Criação de vírus artificial que persegue e inativa o HIV pode revolucionar tratamento da aids - 10/08/2011

Usar um vírus para matar outro vírus. Mais especificamente, o HIV, vírus causador da AIDS.
Esta é a ideia do pesquisador Ping Wang, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Dr. Ping e sua equipe criaram um vírus que persegue e marca as células infectadas pelo HIV, o que é promissor para a descoberta de um mecanismo que poderia inativar o HIV no corpo humano.
Esse tipo de vírus artificial agarra as células infectadas pelo HIV, marcando-as com um processo chamado de "terapia genética suicida", ou seja, permite que as drogas possam mais tarde perseguir essas células e destruí-las.
"Se esgotarmos todas as células infectadas pelo HIV, podemos, pelo menos parcialmente, resolver o problema da ação do vírus no sistema imunológico da pessoa infectada," disse Wang.
Atingir apenas as células afetadas pelo HIV é muito promissor, pois nenhum medicamento antirretroviral consegue esse precisão e acaba afetando muitas células e provocando muitos efeitos colaterais aos pacientes.
Próximos passos da pesquisa
Até agora, esse vírus artificial só foi testado em culturas celulares, e alcançou uma taxa de destruição das células infectadas pelo HIV de aproximadamente 35%. Embora essa efetividade pareça baixa, se este tipo de tratamento chegar a ser utilizado em seres humanos, é provável que várias doses tomadas em sequência aumente muito sua eficácia.
O próximo passo agora será testar o procedimento em camundongos, o que permitirá a avaliação da eficácia de múltiplas doses.
Ainda que seja um avanço importante, estamos longe de falar em uma cura da AIDS, explica Wang. "Estamos ainda numa fase inicial de pesquisa, mas certamente é uma das opções bem interessantes que podemos ter para o tratamento," ressaltou.
Redação da Agência de Notícias da AIDS com informações do site Diário da Saúde


Agência de Notícias da Aids